A Closed World

Um Game que mescla fatores sociais complexos com a dinâmica de um RPG. Closed World é um jogo sobre a identidade homossexual e a pressão exercida pela sociedade, por uma ideologia dominante e conservadora.

A Personagem (masculino ou feminino) principal deve atravessar um mapa com formato de labirinto, tendo que enfrentar situações de seu cotidiano, como conflitos com os pais e com o namorado –que no jogo são representados por demônios, e sua missão é exorcizá-los. Um game inovador que trata com seriedade de fatores psicossociais.

Jogue aqui!

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , | Deixar um comentário

OUYA – o videogame que nasceu do crowdfunding

OUYA (se fala UU-IÁ) é um novo console de videogames que promete ser mais acessível para desenvolvedores de jogos, sendo um espaço para criatividade e inovação.

O console é baseado em Android, totalmente “hackeavel”: qualquer pessoa pode acessar o sistema, alterá-lo, lançar games para o aparelho, etc.. Parte da ideia surgiu dos primeiros videogames da história, onde apenas uma pessoa ou um pequeno time de desenvolvedores conseguiam fazer seus games. Uma tentativa de sair dos entraves de atuar apenas com as gigantes do setor.

O OUYA chama a atenção especialmente pelo apoio que recebeu da comunidade online/ gamer. Utilizando um processo de crowdfunding, o projeto precisava de US$ 950 mil para se tornar viável e entrar para o mercado. A arrecadação superou em nove vezes esse valor, atingindo quase US$ 8,6 milhões.
O produto deve chegar no mercado em abril de 2013, com pré-ordem para o mundo inteiro no site oficial.

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , , | 1 comentário

Leap, a tecnologia do futuro!

https://fbcdn-sphotos-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash4/383389_213382135445326_213179268798946_349178_2024297225_n.jpg

 

Com uma tecnologia impressionante, o Leap é a nova promessa do mercado tecnológico. O produto é um novo sistema de controle por gestos para o Mac OS X e Windows Vista, 7 e 8 que promete concorrer diretamente com o Kinect da Microsoft.

Comparando a sua eficiência com o Kinect, a empresa afirma que seu produto é capaz de detectar movimentos de apenas 0,01 milímetro. Veja o vídeo!


 

Do Tecnoblog – reportagem completa aqui

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário

Profissão – narrador do Fifa 13

Nesta reportagem, Tiago Leifert, jornalista, editor-chefe e apresentador do programa Globo Esporte, conta um pouco sobre o processo de participação em uma mega produção da indústria dos games. Dos sites Paraíba e TechTudo

“Nesta terça-feira, 19, a Electronic Arts finalmente anunciou que Tiago Leifert será o narrador da versão brasileira de FIFA 13. E como se não bastasse a surpresa com o nome do apresentador do Globo Esporte, seu companheiro de bancada, o ex-jogador Caio Ribeiro, será o comentarista oficial do esperado game.

E, se os fãs estavam ávidos para saber quem seria o “Galvão Bueno” da vez, Leifert também não aguentava mais o segredo. “Cara, eu não podia contar nem pros meus amigos! Ninguém sabia!”, revelou. Em uma entrevista exclusiva, o apresentador contou como foi o processo de gravação da locução, a surpresa ao receber o convite, suas expectativas para o lançamento do jogo e como é a vida de “Fifeiro”. Confira:

TechTudo: Qual foi sua reação ao receber o convite?

Tiago Leifert: Fiquei maluco! Queria contar para todo mundo e o contrato de confidencialidade não deixava. Aliás, soubemos guardar o segredo muito bem. Nem vocês sabiam!

TT: Para o pessoal de casa entender, como funciona esse processo de gravação? Você chegou a ver FIFA 13 rolando ou não?

Não, a gente recebe páginas e páginas contendo briefings das situações de jogo. A partir das situações que eu, como Fifeiro, conheço bem, era só narrar. Tinha uma sugestão de como fazer, mas tivemos 100% de liberdade. O diretor, Daniel Perassoli, e o engenheiro de áudio, Charles, nos ajudaram muito e incentivaram a criação.

TT: Quanto tempo durou a gravação?

Uns 3 meses, todo dia, 4 horas por dia. Deve ter dado tipo 80 horas de gravação.

TT: Qual foi a parte mais divertida desse processo?

Foi a sacada de fazer uma narração diferente para o online. Quando o cara for jogar, por exemplo, o Campeonato Espanhol, ele terá uma simulação. Quando for jogar online contra os amigos, a pegada da narração é outra. Tratamos como videogame mesmo. Comentamos sobre deixar ou não os replays para irritar o adversário, usar o start pra esfriar o jogo, etc.

TT: E a mais difícil?

Não perder a voz. Me cuidei bem porque a gravação exige muito e eu ainda continuei no Globo Esporte. Foram 15 horas de trabalho por um bom tempo, mas me cuidei legal.

TT: E você acha que se saiu bem como narrador? Vai substituir o Galvão Bueno depois da Copa de 2014?

Hahaha! Morar em Mônaco não é nada mal…

TT: E o Caio Ribeiro, como ficou de comentarista de FIFA? Ele já conhecia o jogo? É mais um dos seus “patinhos”?

Conhecia das inúmeras horas de concentração que enfrentou. Aliás, o Caio aparece em algumas edições do Fifa!

TT: As piadas com Caio Ribeiro estarão presente no FIFA?

Óbvio!

TT: Agora, com a sua narração, o FIFA ficou ainda melhor que o PES?

Aqui em casa vai ser um monopólio com certeza!

TT: E para aquela galera que vive insatisfeita e já começou a reclamar nas redes sociais, qual seu recado?

Prefiro mandar um salve para as milhares que curtiram a ideia e que irão se divertir muito, prometo!


Uma das metas do GameLab é conhecer e produzir inteligência sobre o mercado consumidor e o setor produtor de games no Brasil, nas frentes de interesse da comunicação e do marketing.
Para cumprir esse objetivo, buscamos informação no mercado. Parte disto envolve coletar reportagens e fazer entrevistas com os profissionais que atuam no setor. Na série “profissão”, buscamos informação com quem trabalha ou já trabalhou com games, para compreender as dinâmicas e desafios de quem atua nessa área.

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , , , | 1 comentário

Profissão – UX designer (e gamer)

Uma das metas do GameLab é conhecer e produzir inteligência sobre o mercado consumidor e o setor produtor de games no Brasil, nas frentes de interesse da comunicação e do marketing.
Para cumprir esse objetivo, buscamos informação no mercado. Parte disto envolve coletar reportagens e fazer entrevistas com os profissionais que atuam no setor.

Na série “profissão”, buscamos informação com quem trabalha ou já trabalhou com games, para compreender as dinâmicas e desafios de quem atua nessa área. E, pra começar, conversamos com Thiago Cassola Pronunciato – um ex-aluno da ESPM e, hoje, UX designer (User eXperience) na F.Biz, agência que tem certa freqüência em atuar com games em suas campanhas publicitárias.

Perguntamos ao Thiago a relevância dos advergames dentro das campanhas publicitárias em geral.

“Bom, o mercado publicitário ultimamente tem encarado os advergames como jogos de Facebook, principalmente. Raramente são cogitados outros formatos, como product placement (colocar uma marca brasileira dentro de um game já existente) ou treinamento empresarial.

Mas isso não quer dizer que exista uma vasta produção de advergames de Facebook. Pelo contrário, são poucos, com uma qualidade nem sempre adequada. Algumas vezes surgem bons jogos, onde notamos com mais clareza a mensagem publicitária in-game, ou mesmo uma promoção em formato de jogo, mais simples, e ainda assim relevante para a marca. Mas não é o padrão.

Penso que o problema é o seguinte: Não é simples, nem barato e tampouco rápido desenvolver um bom game, e esses três pontos andam na contramão do que a maioria das agências precisam oferecer aos seus clientes para deixá-los satisfeitos. Por isso, muitas vezes os jogos produzidos acabam como cópias de outros sucessos, como ‘tower defences’ e ‘bejeweleds’. E os mais inovadores (ou que pelo menos procuram se diferenciar da maioria) passam por aprovações de profissionais que nem sempre tem o conhecimento necessário em games para fazer uma boa avaliação – além de, algumas vezes, serem desenvolvidos por produtoras digitais, e não necessariamente por produtoras de games.

Como um user experience designer e como ávido gamer que sou, vejo que esse setor de games publicitários ainda tem muito o que crescer. Para isso, as agências e os clientes precisam entender o formato do game como uma mídia, já que existe um potencial nele para resolver alguns problemas de comunicação muito mais facilmente que um site ou um comercial 30”, mas são encarados como “vamos fazer um joguinho”.

Esta primeira conversa foi mediada pela aluna da graduação em comunicação social Priscila Mazochi, que está pesquisando em seu trabalho de conclusão monográfico sobre o mercado nacional de games.

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , , | Deixar um comentário

Grandes ou pequenos, a indústria dos games se promove

Começou hoje (04/06/2012) um grande evento das gigantes da indústria dos games, a E3 – que você pode acompanhar ao vivo pela IGN, aqui, até dia 07/06.

Enquanto acontece a E3, os pequenos também unem forças.

A Humble Bundle é uma promoção: Pague o quanto quiser e leve 5 jogos indies, e suas trilhas sonoras. Se você paga mais do que a média (que neste post estava em $7,85), você leva mais um game.

Parte da grana vai para os pequenos produtores, outra parte vai para instituições de caridade, e outra parte vai para os organizadores da promoção. E é você quem escolhe o quanto da sua grana vai para cada um.

No mínimo, uma mecânica promocional bastante interessante. Produtores brasileiros: boa idéia, não?

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário

GoodYear Eagle GT Challenge


Com gráficos impressionantes, o game “GoodYear Eagle GT Challenge” é um advergame da fabricante de pneus GoodYear, com produção feita pela brasileira Aquiris.

Após escolher seu carro e a pista, deve-se competir contra o computador ou contra um outro jogador pelo primeiro lugar.

Os pneus na pista servem como itens que dão super-poderes ao jogador: jogar água na pista, melhorar a performance do carro, adicionar armadilhas etc..

Ao melhor estilo Mario Kart, pode-se jogar via browser ou baixar e instalar no seu PC.

 

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário

Tabletop Forge – O RPG do Google+

Agora no Google+ chegou o aplicativo Tabletop Forge, interessantes para os amantes de RPG que buscam uma alternativa para jogar online sem perder toda interatividade do jogo clássico de mesa.

Tabletop Forge usa o sistema Google Hangout, possibilitando que todos os jogadores vejam uns aos outros durante a partida, com chat integrado, tela de vídeo móvel e redimensionável.

Além disso, a interface do app é flexível, permitindo que o usuário disponha as janelas na tela como preferir.

Tudo funciona através da adição de “mesas” personalizadas, com analisador que cuida de múltiplos dígitos, notas de combate automáticas, e suporte a diferentes sistemas de dados como pool system, storyteller e shadowrun. Leia mais no JovemNerd aqui.

É possível também criar mapas, carregar imagens de fundo, adicionar ícones, configurar grades redimensionáveis de combate, e muito mais.

O Google+ tem lutado para ganhar espaço dentro das redes sociais digitais e vem mostrando algumas propostas bastante diferentes. Com o Tabletop Forge procura oferecer algo que ainda não vimos ser explorado a fundo em facebook, por exemplo. Mas não será um pouco complexo para o usuário comum?

Uma comparação interessante entre a nova proposta desenvolvida para o Google+ e a antiga alternativa aqui.

 

Experimente!

http://tabletopforge.com/

 

leia mais aqui.

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário

DC Shoes Moment Game

O Moment Game possibilita que o jogador experimente a vida de um fotógrafo de skate. O game exige que você tire boas fotos, registre as melhoras manobras, acerte foco, luz e posição da câmera, em instantes! Para vivenciar do modo mais realista possível o cotidiano de um fotógrafo profissional, o jogador terá que comprar seus equipamentos e vender suas fotos.

Moment é todo filmado em HD, ao contrário das maioria dos advergames, que costumam ser feitos com animações 3D. Além disso, o game conta com a Fase 1, Fase 2DC e agora a dificuldade aumenta ainda mais com a mais nova fase, a DC Shoes.

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

GameLab is ON!

Depois de muito planejamento, formação de parcerias e organização, iniciamos oficialmente os trabalhos do GameLab!

Definido como um espaço para pesquisa e experimentação na comunicação lúdica.

Aqui, pretendemos:
CONHECER conceitos, mecânicas, interfaces e outros elementos sobre jogos diversos.

PRODUZIR inteligência sobre o mercado brasileiro de games e game design nas frentes de interesse da comunicação e do marketing;

DIVULGAR os resultados obtidos em revistas, blogs, redes sociais digitais etc.

Gerenciado pelos profs. Mauro Berimbau e Vicente Mastrocola, o GameLab é um espaço para experiências lúdicas, atualizado com o cenário mercadológico contemporâneo, e envolvido com tecnologia e tendências.

Esperamos publicar em breve os resultados dos nossos estudos e experiências!

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário